Expointer: Agricultura familiar deve faturar mais de R$ 2,3 milhões

DSCN0570

Secretário de Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul fala em crescimento de 10% em relação ao ano passado

Por Régis Nascimento / Fotos: Marco Gouveia

O pavilhão de agricultura familiar é de longe um dos mais visitados durante a 40ª Expointer. Com corredores lotados, os visitantes podem conferir os mais variados produtos das 145 agroindústrias expositoras.

Para o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Rio Grande do Sul, Tarcisio José Minetto, a expectativa é a mais otimista possível. Em termos de vendas ele diz esperar crescimento em torno de 5% a 10%. O secretário lembra que até o momento, com a feira ainda em seu 5º dia, já é possível registrar um aumento da ordem de 64% na comparação com os cinco primeiros dias do ano anterior.

A nossa expectativa está além do que havíamos anteriormente projetado em função da diversidade de produtos diferenciados. Reunimos em um único lugar tudo aquilo que a população urbana quer ver e essa interação entre campo e cidade é o mais importante”, diz.

Para os nove dias de Expointer a movimentação financeira do pavilhão de agricultura familiar deve ultrapassar a marca dos R$ 2,3 milhões. No entanto, ele ressalta que o fundamental não são os números, mas sim a perspectiva de negócios futuros e a percepção das pessoas que saem da feira em relação ao mercado.

Esse é o grande legado da agroindústria familiar, seja na área da proteína animal, na área de sucos e vinhos, na área das cachaças ou ainda na área de artesanato, plantas e flores. Aqui é o cantinho da Expointer que todo mundo passa”, afirma.

Para o próximo ano ele diz que a ideia é construir um segundo pavilhão destinado a agricultura familiar. Segundo ele, o novo espaço dará oportunidade para que mais de 50% das agroindústrias possam expor seus produtos dentro da Expointer.

Em relação a movimentação de público o secretário lembra que este ano o aumento no número de visitantes se deve a oferta dos produtos apresentados e também a atratividade dos preços. Tarcisio ressalta ainda que o contato direto com os produtores traz um ‘efeito nostálgico’ de volta ao passado do campo, e isso têm feito a diferença quanto ao maior número de visitantes.

Novidades da feira

Uma das novidades deste ano no pavilhão de agricultura familiar é a comercialização do queijo de cabra, o design de embalagem diferenciado para alguns produtos, além da interação com o Estado de Minas Gerais, que trouxe para o evento seis agroindústrias para participar de uma espécie de intercâmbio de produção. De acordo com Tarcísio José, a inter-cooperação entre os Estados é importante para mostra o que cada um produz e tem de melhor a oferecer na área de agricultura familiar.

Secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Rio Grande do Sul, Tarcisio José Minetto
Secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Rio Grande do Sul, Tarcisio José Minetto

Você também pode gostar de:

Avelino Lopes/PI realiza Feira de Caprinos e Ovinos

Começou nesta quinta-feira (21), a 3ª Feira de